Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2011

Um texto riquíssimo em descrições, uma oportunidade para trabalhar valores e identidade. (Sugestões de atividades no fim do texto)

Carta de Boas maneiras

Matemática Divertida, Lúdica e Prazerosa -Trabalho com Histórias !!!

Imagem
Hoje vamos trabalhar a partir de uma história, o que é bem legal .
Naquela manhã a centopéia acordou mais cedo.
Era dia de comprar sapatos e ela gostava muito de fazer compras.
Levantou, arrumou a sua caminha e foi para a sala tomar café.
A sua mãe já tinha arrumado a mesa.
O café estava quentinho e havia uns bolinhos de que ela gostava muito.- Menina, ande logo, senão vamos chegar muito tarde e não vamos ter tempo de comprar todos os sapatos de que precisamos.
Dona centopéia e a sua filha pegaram nos seus chapéus e nas suas sombrinhas porque estava um sol muito forte e pediram uma boleia ao senhor mosquito.
Quando chegaram à loja, a joaninha veio atende-las.
- Bom dia, dona centopéia, como a sua filha está bonita, faz tempo que a senhora não aparecia.
A centopéia e a sua mãe foram olhar os sapatos que estavam na vitrine.
A centopéia pediu um sapato vermelho muito bonitinho.
A joaninha subiu e desceu a escada, subiu e desceu, subiu e desceu diversas vezes para trazer os pares de sapato para a ce…

A menina transparente- Vale a pena linkar...visite

J’ACUSE !!!(Eu acuso!)

J’ACUSE !!!(Eu acuso!) (Tributo ao professor Kássio Vinícius Castro Gomes)(Émile Zola) Meu dever é falar, não quero ser cúmplice. (...) (Émile Zola) Foi uma tragédia fartamente anunciada. Em milhares de casos, desrespeito. Em outros tantos, escárnio. Em Belo Horizonte, um estudante processa a escola e o professor que lhe deu notas baixas, alegando que teve danos morais ao ter que virar noites estudando para a prova subsequente. (Notem bem: o alegado “dano moral” do estudante foi ter que... estudar!). A coisa não fica apenas por aí. Pelo Brasil afora, ameaças constantes. Ainda neste ano, uma professora brutalmente espancada por um aluno. O ápice desta escalada macabra não poderia ser outro. O professor Kássio Vinícius Castro Gomes pagou com sua vida, com seu futuro, com o futuro de sua esposa e filhas, com as lágrimas eternas de sua mãe, pela irresponsabilidade que há muito vem tomando conta dos ambientes escolares. Há uma lógica perversa por trás dessa asquerosa escalada. A promoção do …